O Instituto   Equipe Médica

Serviços Prestados  

Doenças   Contato


 


EJACULAÇÃO PRECOCE

O que é ejaculação precoce?
Denomina-se precoce a ejaculação que ocorre muito rapidamente, antes que a pessoa a deseje e antes que sua parceira sexual tenha atingido o orgasmo, o que habitualmente é vivido com grande ansiedade e insatisfação. Geralmente a ejaculação ocorre dentro de 1 ou 2 minutos, ante o mero contato com a vagina ou tão logo o pênis seja introduzido nela. Na verdade, não há um tempo mínimo definidor da ejaculação precoce. O que há é uma sensação subjetiva do homem e da sua parceira de que a ejaculação foi muito rápida, ocorreu antes de ser desejada e não pode ser controlada.
A ejaculação precoce é muito frequente nos homens, atingindo 20 a 30% deles. Talvez seja a queixa mais comum nos consultórios dos sexologistas. Ela pode ocorrer normalmente de maneira episódica na juventude, em indivíduos que estejam iniciando sua vida sexual, em encontros com parceiros sexuais novos ou após longos períodos de abstinência sexual, mas quando se torna muito frequente e se prolonga pela maturidade passa a se constituir um problema.

Quais as causas da ejaculação precoce?
Não há um causa médica definida para esta condição. Alguns antropólogos chegam a especular sobre uma causa evolutiva e alegam que nos primórdios da humanidade o animal humano precisou ejacular rapidamente para fugir dos predadores e melhor espalhar seu DNA. Segundo eles, a ejaculação precoce seria um resquício desse tempo. Pensa-se em uma sensibilidade anormalmente aumentada da glande peniana, na inexperiência que cerca as primeiras relações sexuais ou em conflitos psicológicos de várias naturezas.
Mas, atualmente, sabe-se que os quadros de origem psicológica como os transtornos de ansiedade, nervosismo têm interferência direta na sua origem.

Como tratar a ejaculação precoce?
O tratamento principal talvez seja psicoterápico ou uma reeducação sexual geral. Há também algumas técnicas, mas todas são de eficácia discutível. Igualmente, há cremes e pomadas, geralmente com algum efeito anestésico, que tentam diminuir a sensibilidade do pênis e com isso retardar a ejaculação. Com esse mesmo objetivo de diminuir a sensibilidade do pênis tem-se tentado o uso de preservativos.
Um grande número de antidepressivos do grupo dos inibidores seletivos da serotonina como, por exemplo, o citalopram, a fluoxetina, a paroxetina e a sertralina, tem entre seus efeitos colaterais o de retardar a ejaculação. Aqui eles podem ser utilizados (e frequentemente são) visando esse efeito. Em alguns países existe uma substância para uso oral (dapoxetina) indicada com essa finalidade, mas a experiência com ela ainda é pequena, visto ser uma medicação muito recente. Consulte seu médico. Agende uma consulta. Só ele pode saber o que é mais indicado para o seu caso.

Fonte: http://www.abc.med.br

Copyright ©  -  2019 Todos os direitos reservados.
Clínica Urológica Ltda