O Instituto   Equipe Médica

Serviços Prestados  

Doenças   Contato


 


VASECTOMIA

O que é a vasectomia?
A vasectomia ou deferentectomia é um método contraceptivo através da ligadura dos canais deferentes no homem. É uma pequena cirurgia feita com anestesia local em cima do escroto. Não precisa de internação. Trata-se de uma cirurgia de esterilização voluntária.
A vasectomia é o método contraceptivo a longo prazo mais eficiente que existe, e está entre as opções mais seguras para o planejamento familiar. Atualmente muitos homens em seus 30 ou 40 anos são os que mais fazem a vasectomia, a fim de um controlo de natalidade.
As taxas de falha da vasectomia, são menores que 1%, mas a eficiência da operação e os índices de complicações variam com o nível de experiência do cirurgião que faz a operação e a técnica cirúrgica utilizada.

Quem pode fazer a vasectomia?
A vasectomia, compondo o tópico da esterilização cirúrgica humana, é um dos poucos procedimentos médicos que tem uma legislação específica em nosso país. Trata-se da Lei Federal nº 9.263, de 12 de janeiro de 1996, que regulamenta o parágrafo 7º do artigo 226 da Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988.
É preciso discutir a polêmica em torno da redação da Lei da vasectomia relacionada à frase: "em homens maiores de vinte e cinco anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos", o que leva a duas interpretações: um homem menor de 25 anos com filhos assim como um homem maior de 25 anos e sem filhos pode fazer a cirurgia.
Ela, que foi publicada no DOU no 010, de 15 de janeiro de 1996, e no DOU no 159, de 20 de agosto de 1997, trata do planejamento familiar, em seus princípios básicos.
Vejamos o que está no item I do seu artigo 10. “Somente é permitida a esterilização nas seguintes situações: em homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de vinte e cinco anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos, desde que observado o prazo mínimo de sessenta dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico, período no qual será propiciado à pessoa interessada acesso a serviço de regulação da fecundidade, incluindo aconselhamento por equipe multidisciplinar, visando desencorajar a esterilização precoce.”
O texto, como está escrito, suscita na verdade estes questionamentos, uma vez que há Leis e há interpretações das Leis. Em casos duvidosos, impera sempre analise criteriosa caso a caso, o bom senso e a discussão ampla e participativa do paciente antes da tomada de decisão sobre o que fazer.

A vasectomia funciona imediatamente?
Não, nenhuma vasectomia deixa um homem estéril imediatamente e o uso de outros métodos contraceptivos (camisinha ou pílula) é necessário até que seja feito um espermograma que confirme a ausência de espermatozóides no sêmen. Este exame deve ser feito após 25-30 ejaculações após o procedimento ou em um período médio de 3 meses de pós operatório.

Como é o pós-operatório?
Na maioria das vezes, os homens sentem desconforto na região escrotal no pós operatório imediato ao procedimento. Razão pela qual é solicitado que o paciente faça repouso em casa e tome medicações anti-inflamatórias e analgésicos
O escroto poderá ficar inchado por algumas horas após a cirurgia. Aplicar compressas de gelo na área pode prevenir ou amenizar esta situação. Orienta-se usar roupas íntimas especiais (suspensório escrotal) nos primeiros dias após a cirurgia para dar conforto ao paciente.
Edema discreto e dor tipo desconforto podem ser esperados durante alguns dias. A menos que seu trabalho seja extenuante, você poderá retornar às suas atividades dentro de três ou quatro dias. Evite pegar peso por uma semana. Atividades físicas são recomendadas após 3-4 semanas
Você pode voltar a ter relações sexuais quando se sentir confortável para isso, geralmente dentro de uma semana. Entretanto, deve usar outro método contraceptivo até ter certeza que a contagem de espermatozóides está zerada no sêmen.

Uma vasectomia pode ser revertida?
Todos os homens que fazem uma vasectomia devem considerá-la permanente.
Existe uma microcirurgia delicada, a chamada vaso-vasostomia, na qual é realizada uma tentativa de reconstruir o canal deferente, mas não há segurança de que o fluxo dos espermas pode ser restaurado ou uma gravidez possa ser possível.
O sucesso deste procedimento pode variar muito dependendo de circunstâncias individuais, incluindo quanto tempo passou após a realização do procedimento, mas fica em torno de 30-40%.
Se você está considerando fazer uma vasectomia, o melhor é encará-la como definitiva. Ela só deve ser feita se um homem tem certeza de que não vai querer ter filhos no futuro, o que deve ser muito bem avaliado, pois a situação de vida atual pode se tornar muito diferente no futuro.

A vida sexual é afetada?
A vasectomia não altera a habilidade de um homem ter uma ereção, orgasmo, ejaculação ou prazer sexual. O sêmen continua a ser produzido normalmente e não há diferença no volume do sêmen uma vez que os espermatozóides contribuem muito pouco para o volume total do sêmen.
Os hormônios masculinos continuam a ser produzidos e os caracteres sexuais secundários (como voz e barba) não mudam.

Fonte: http://www.sbu.org.br http://www.abc.med.br

Copyright ©  -  2019 Todos os direitos reservados.
Clínica Urológica Ltda